• 09/02/2021

Um novo estudo encomendado pela Fundação de Pesquisa da Câmara de Comércio Internacional (ICC) estima que a economia global pode perder até US$ 9,2 trilhões se os governos não conseguirem garantir o acesso às vacinas da COVID-19 por parte das economias em desenvolvimento, sendo que economias avançadas perderiam quase metade desse valor. O estudo demonstra claramente as vantagens econômicas de se investir no Acelerador de Acesso às Ferramentas COVID-19 (Access to COVID-19 Tools Accelerator - ACT Accelerator, em inglês), a colaboração global para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas da COVID-19. 

Enquanto outras análises destacaram os custos econômicos do nacionalismo da vacina, esse novo estudo é o primeiro a incorporar tanto choques de oferta quanto de demanda, a nível setorial, para uma economia aberta que opera em cadeias globais de valor. A análise integrada mostra todas as ramificações possíveis do impacto do nacionalismo da vacina, significativamente maiores do que estimado pelas melhores estimativas anteriores. O relatório demonstra os custos econômicos da baixa distribuição de vacinas para o sistema de comércio internacional em escala global, mostrando que mesmo que um determinado país tenha acesso à vacina, ele "experimenta uma recuperação lenta com entrave em seu PIB" se seus parceiros comerciais não tiverem esse mesmo acesso.

Surpreendentemente, um investimento de US$ 27,2 bilhões por parte das economias avançadas - o atual déficit que falta para viabilizar totalmente o ACT Accelerator e seu pilar de vacinas COVAX - é capaz de gerar retornos de até 166 vezes o investimento.

O estudo também mostra que as economias e setores com alto grau de exposição internacional sofrerão o impacto das perdas econômicas.

Celebrando esta última contribuição sobre os impactos econômicos de um Acelerador ACT totalmente financiado, o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse:

“O mundo enfrenta uma falha moral de grandes proporções no acesso igualitário às ferramentas para combater a pandemia. Esta pesquisa mostra um fracasso econômico potencialmente catastrófico".

“O progresso feito pelo ACT Accelerator mostra solidariedade no combate a este vírus. Quanto mais esperarmos para fornecer vacinas, testes e tratamentos a todos os países, mais rápido o vírus se espalhará, o potencial para mais variantes surgirão, maior será a chance de as vacinas de hoje se tornarem ineficazes e mais difícil será para todos países se recuperarem. Ninguém está seguro até que todos estejam seguros.”

Um dos autores do estudo, Ṣebnem Kalemli-Özcan – Professor de Economia e Finanças da cátedra Neil Moskowitz da Universidade de Maryland, College Park – afirmou:

“Nenhuma economia conseguirá se recuperar totalmente até que tenhamos acesso equitativo global às vacinas, tratamentos e testes.  O caminho em que estamos leva a menos crescimento, mais mortes e a uma recuperação econômica mais longa.”

O Secretário-Geral da ICC, John WH Denton, afirmou:

“O novo ano nos apresenta uma oportunidade de corrigir o curso - de remeter o nacionalismo da vacina ao passado e garantir que os esforços multilaterais tenham o financiamento e o apoio necessários para ter sucesso. Como este estudo mostra, garantir acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas da COVID-19 não é apenas o certo - fazer o contrário é economicamente irresponsável. Negócios internacionais precisam de um ACT Accelerator totalmente financiado.”

Principais conclusões:

  • Os custos econômicos com os quais os países ricos arcariam na ausência de coordenação multilateral que garanta o acesso e a distribuição das vacinas variam entre US$ 203 bilhões e US$ 4,5 trilhões, dependendo da força das relações comerciais e da rede de produção internacional. O ACT Accelerator está orçado em US$ 38 bilhões.
  • Esses custos são maiores do que os estimados por estudos anteriores, que calcularam os custos da inação entre US $ 119 - US$ 153 bilhões em 2021 e até US$ 466 bilhões em 2025 (Duke Health, Eurasia Group, RAND).
  • O estudo mostra uma relação clara e positiva entre o custo econômico da distribuição desigual de vacinas e os vínculos comerciais - quanto mais aberta for uma economia, mais forte será o incentivo econômico que ela deve ter para garantir que os parceiros comerciais tenham acesso às vacinas.
  • Se as economias avançadas continuarem a priorizar a vacinação de suas populações suscetíveis à COVID-19 sem garantir a vacinação equitativa para as economias em desenvolvimento, o custo total para o mundo varia entre US$ 1,5–9,2 trilhões.
  • O custo econômico estimado para os Estados Unidos é de US$ 45 bilhões a US$ 1,38 trilhão. O custo econômico estimado para o Reino Unido é de US$ 8,5–146 bilhões. O custo estimado para a Alemanha é de US$ 14–248 bilhões.
  • As principais economias avançadas mais afetadas incluem diversos países europeus (como Bélgica, França, Alemanha, Holanda), Noruega, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos, que podem perder até 3,9% de seus PIBs em relação a um mundo onde todos os países estão vacinados.

Metodologia do estudo

Os autores do estudo desenvolveram um macro modelo epidemiológico Suscetível-Infectado-Recuperado (SIR) com rede de produção internacional multissetor, com base em um estudo anterior intitulado COVID-19 e Mercados Emergentes: Um Modelo Epidemiológico com Redes de Produção Internacionais e Fluxos de Capital.

O estudo incorpora um conjunto abrangente de conjuntos de dados, incluindo capacidades de leito de UTI, dados em tempo real sobre compras com cartão de crédito, valores de proximidade física do local de trabalho O * Net, Estatísticas de Emprego Ocupacional (OES) fornecidas pelo US Bureau of Labor Statistics e tabelas multinacionais e multissetorias de insumos e produtos da OCDE com 65 países e 35 setores.

A International Chamber of Commerce

A International Chamber of Commerce (ICC) é a representante institucional de mais de 45 milhões de empresas em 100 países. A missão central da ICC é fazer que os negócios funcionem para todos, todos os dias, em todos os lugares.

Por meio de uma combinação única de advocacy e criação de padrões e soluções, promovemos o comércio internacional, a conduta responsável das empresas e uma visão regulatória global, além de fornecer serviços de resolução de disputas altamente reconhecidos pelo mercado. Nossos membros incluem muitas das grandes empresas globais, PMEs, associações empresariais e câmaras de comércio.

A ICC representa os interesses do setor privado nos níveis mais altos de tomada de decisão intergovernamental, seja na Organização Mundial do Comércio, nas Nações Unidas ou no G20 - garantindo que a voz das empresas seja ouvida.

O ACT Accelerator

O Access to COVID-19 Tools Accelerator (ACT Accelerator) é a colaboração global para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas da COVID-19. Foi criado em resposta a um apelo dos líderes do G20 em março de 2020 e lançado pela OMS, Comissão Europeia, França e Fundação Bill & Melinda Gates em abril de 2020.

O ACT Accelerator não é um órgão de tomada de decisão ou uma nova organização, mas trabalha para acelerar os esforços colaborativos entre as organizações existentes para dar fim à pandemia. É uma estrutura de colaboração que foi projetada para reunir os principais atores com objetivo de acabar com a pandemia o mais rápido possível por meio do desenvolvimento acelerado, alocação equitativa e distribuição ampliada de testes, tratamentos e vacinas, protegendo assim os sistemas de saúde e restaurando sociedades e economias no curto prazo. Baseia-se na experiência de organizações de saúde globais que lideram o enfrentamento dos maiores desafios atuais de saúde pública mundial que, cooperando, são capazes de atingir resultados novos e mais ambiciosos contra a COVID-19. Seus membros compartilham o compromisso de garantir que todas as pessoas tenham acesso a todas as ferramentas necessárias para derrotar a COVID-19 e de trabalhar em níveis de cooperação sem precedentes para alcançar esse objetivo.  

O ACT Accelerator é composto por quatro pilares: diagnóstico, tratamento, vacinas e fortalecimento do sistema de saúde

O pilar de diagnóstico, liderado pelo Fundo Global e FIND, está focado em trazer ao mercado testes rápidos de alta qualidade, treinar 10.000 profissionais de saúde em 50 países e estabelecer testagem de 500 milhões de pessoas em países de baixa e média renda em meados de 2021.

O pilar de tratamento é liderado pela Unitaid e Wellcome. Tratamentos podem desempenhar um papel em todas as fases da COVID-19: para prevenir a infecção; suprimir os sintomas e a disseminação da infecção; tratar ou prevenir sintomas, como, por exemplo, um tratamento para sintomas graves que salve vidas ou um tratamento que pode acelerar a recuperação. A meta nos próximos 12 meses é desenvolver, fabricar e distribuir 245 milhões de tratamentos, ajudando os portadores de COVID-19 a se recuperarem da doença.

O pilar de vacinas, COVAX, liderado pela CEPI, Gavi e OMS, está acelerando a busca por uma vacina eficaz para todos os países. Ao mesmo tempo, está apoiando a construção de capacidade de manufatura e a compra de suprimentos com antecedência para que 2 bilhões de doses possam ser distribuídas de forma equitativa até o final de 2021.

A conexão de sistemas de saúde, liderada pela OMS, Banco Mundial e Fundo Global, está trabalhando para garantir que essas ferramentas possam chegar às pessoas que precisam delas.

Transversalmente, está o fluxo de trabalho sobre Acesso e Alocação, patrocinado pela OMS.

 

Acesse o estudo "The Economic Case for Global Vaccinations: An Epidemiological Model with International Production Networks" aqui.

 

Atendimento à imprensa:

Agência Fato Relevante

Julia Barroso  21 99504-9668

julia.barroso@agenciafr.com.br

Share