• 25/11/2020

“São trilhões de dólares perdidos com fraude e corrupção. Combater a corrupção é promover práticas mais justas de comércio, expandir nossa credibilidade internacional e combater também a desigualdade”, afirmou Tânia Cosentino, CEO da Microsoft Brasil e Presidente do Conselho de CEOs da ICC Brasil durante o último painel do 3º Encontro "O Brasil Quer Mais (BR+)", em que foi lançado o Compromisso do setor privado pela integridade da cadeia produtiva.  

“A estratégia para avanço da integridade tem que ser completa. Setor público, setor privado e sociedade civil têm que entender seu papel e participar”, afirmou Pedro Ruske, Diretor de Promoção da Integridade da Controladoria-Geral da União, que também participou do painel.  

A discussão ressaltou a importância de escalar boas práticas de conformidade e integridade às pequenas e médias empresas, destacando que se trata de um trabalho contínuo.  “A conscientização da importância da integridade e do combate à corrupção é um trabalho constante”, afirmou Eduardo Diogo, Diretor de Administração e Finanças do SEBRAE Nacional. 

O painel foi moderado por Reynaldo Goto, Chief Compliance Officer da BRF, que lembrou que integridade e compliance também são parte importante da agenda ESG e ressaltou a capacidade das empresas de impulsionar mudanças positivas. "A agenda ESG não diz respeito apenas à questão ambiental e social, mas tem um forte componente de governança, relacionada à integridade", afirmou, "devemos usar nosso potencial como empresas e instituições para promover mudanças positivas".

O Compromisso do setor privado pela integridade da cadeia produtiva é um primeiro passo concreto do trabalho desenvolvido pela Comissão de Responsabilidade Corporativa e Anticorrupção da ICC Brasil. A carta, já é assinada por mais de uma dezena de CEOs de grandes empresas, está aberta para todas as empresas interessadas em aderir.  

Assista a íntegra do debate aqui.

Share