• 21/03/2019

A ICC Brasil recebeu nesta quinta-feira (19), em São Paulo, Roberto Azevedo, diretor-geral da Organização Mundial de Comércio (OMC), e Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, além de empresários brasileiros e embaixadores de diversos países para uma rodada de discussões sobre o projeto O Brasil Quer Mais (BR+). As propostas estão concentradas em três frentes: inserção internacional, recuperação da credibilidade no exterior e inovação.

O principal objetivo do BR+ é ampliar o nível de participação do comércio internacional no Produto Interno Bruto (PIB), atualmente em 24%. Quanto mais elevado esse índice, mais integrada será a economia brasileira com o mundo e mais sólidas se tornam as bases para um crescimento econômico sustentável. “O BR+ é uma campanha fundamental nesse momento que o País atravessa. Passamos por uma crise de credibilidade, o que também afetou a inserção internacional do Brasil, resultando na perda de mercados. Vamos estabelecer um diálogo positivo com o governo, apresentando um pacote de medidas de curto, médio e longo prazos, elaborado pelo setor privado para alavancar a competividade do Brasil no cenário global”, define Daniel Feffer, presidente da ICC Brasil.

Roberto Azevedo destacou a importância da ICC Brasil na promoção do diálogo entre iniciativa privada e governo. “O BR+ é um passo muito importante para que o Brasil se torne mais competitivo. Temos novas tecnologias revolucionando o comércio exterior, o momento é muito oportuno. A falta de competividade leva a defasagem da indústria, que se torna ineficiente e dependente do Estado. A exposição ao mercado internacional contribui para o aumento da competividade industrial”, analisa o diretor-geral da OMC.

Marcos Troyjo projetou os temas que devem ocupar o debate sobre comércio internacional nos próximos anos. “A grande questão será a definição de padrões no que se refere a compras governamentais, legislação ambiental, propriedade intelectual e legislação trabalhista, para que todas as nações joguem o mesmo jogo. Nesse contexto, o BR+ é uma iniciativa muito importante para levar aos parlamentares brasileiros as causas da nossa estagnação, pela perspectiva do setor privado”, diz o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia.

As primeiras propostas já elaboradas pela ICC Brasil serão agora avaliados pela iniciativa privada, que poderá sugerir novos pontos a serem considerados. Todo esse material será compilado em um documento que será entregue ao ministro da Economia Paulo Guedes, ao ministro da Justiça Sergio Moro, ao ministro da CGU Wagner Rosário e ao ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Marcos Pontes, em abril.

Share