• 09/05/2017

Com o principal desafio de ampliar a presença de empresas brasileiras em fóruns multilaterais de negociações sobre clima, energia e biodiversidade, a ICC Brasil lançou na última semana seu capítulo da Comissão de Meio Ambiente e Energia, em São Paulo.  A Comissão no Brasil, liderada pela presidente-executiva da Indústria Brasileira de Árvores, Elizabeth Carvalhaes, reforçará a representação internacional do setor empresarial na questão ambiental.

Seguindo plano estratégico internacional da ICC, o início das operações da comissão no país pretende alavancar a participação brasileira nas forças-tarefas globais da Câmara voltadas para temas como economia verde, precificação de carbono e mecanismos de mercado, clima e comércio, energia, sustentabilidade corporativa e água. Para Elizabeth, a ICC Brasil é uma importante plataforma do setor empresarial e é fundamental inserir a Ibá na construção e fomento da agenda de clima, meio ambiente, energia e biodiversidade. “Trata-se de uma importante iniciativa que contribuirá para o desenvolvimento sustentável do país”, destacou a executiva.

Sendo o quarto comitê da ICC Brasil, que já conta com os capítulos nacionais de Arbitragem, de Direito e Prática Comercial e de Propriedade Intelectual, a expectativa da organização é que o Brasil lidere as discussões sobre biodiversidade, pela vocação natural do país e pelo potencial de negócios nessa área.

No lançamento, o presidente da ICC Brasil, Daniel Feffer, apresentou a Carta Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável, que deverá ser um conjunto orientador de princípios para empresas estabelecerem sistemas de gestão ambiental e de pessoas. “Em um mundo tão instável e de tantas incertezas, a ICC tem um importante papel a cumprir” destacou Feffer. Entre os princípios estabelecidos no documento estão o desenvolvimento sustentável como prioridade empresarial; gestão e responsabilidade ambiental e social; e produtos e serviços benéficos aos clientes e que minimizem impactos ambientais e sociais.

Pedro Passos, da Natura, também destacou o papel da ICC no tema: “A ICC é mais uma ponte de integração do Brasil com o mundo. Vamos transformar nossas vantagens comparativas em vantagens competitivas”

Além da Natura, na ocasião estavam presentes também executivos de diversas empresas e setores como a Aché, Bank of America, Duratex, Embraer, Gerdau, Itaú, Klabin, Marfrig, Santander, Schneider-Electric, Shell, Siemens, Suzano, entre outras.

O papel da ICC junto à Organização das Nações Unidas (ONU), também foi lembrado pelo presidente Daniel Feffer. “Nossa aproximação com a ONU reforça os modelos inclusivos de cooperação entre organizações de todo o mundo, além de abrir um canal direto para a representação das empresas-membros da ICC nas conferências internacionais. Com essa nova Comissão no Brasil, reforçaremos a influência das entidades brasileiras nas negociações globais relacionadas a meio ambiente, clima e sustentabilidade”, afirmou.

Confira a íntegra da Carta Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável .

 

Compartilhar